sexta-feira, 18 de novembro de 2016

"A Usurpadora" será exibida em rede nacional jogando o "Casos de Família" para mais cedo; mudanças também atingem faixa matinal


Silvio Santos antes da gravação de mais um programa, distribuiu ordens no SBT aplicando mudanças na grade que já valerão a partir da próxima segunda (21). As alterações afetam as manhãs e as tardes da emissora. O "Primeiro Impacto" antes exibido das 6h às 8h, agora ganhará 30 minutos de duração, tirando o "Carrossel Animado" do ar, sendo exibido das 6h às 8h30.

Já pela tarde as alterações atingem o "Fofocando", que enfrenta baixa audiência desde sua estreia. Apesar das recentes mudanças no programa até hoje não engrenou. Com isso, o programa de fofocas será exibido mais cedo, das 13h15 às 14h15, deixando de ser nacional para virar local. "A Usurpadora" também vai trocar de horário, sendo exibida às 15h15, sendo exibida agora em rede nacional, jogando assim o "Casos de Família" para 14h15.


Com as mudanças, o "Fofocando" será exibido apenas em São Paulo e nas afiliadas próprias do SBT. O "Casos de Família" volta ao seu horário antigo, e ainda não se sabe o que acontecerá com "A Usurpadora", pois como não é exibida em todos estados, e agora será, o SBT terá de fazer alguma coisa para que o público desses locais entendam a novela.

Confira as Novidades:

10h30 - Bom Dia & Cia
13h15 - Fofocando
14h15 - Casos de Família
15h15 - A Usurpadora, cap. 11
16h15 - Mar de Amor, cap. 136
16h45 - Querida Inimiga, cap. 4
17h30 - Lágrimas de Amor, cap. 36
18h30 - A Gata, cap. 71
19h45 - SBT Brasil
20h30 - Cúmplices de um Resgate, cap. 341
21h - Carinha de Anjo, cap. 01
21h45 - Chiquititas, cap 51

quinta-feira, 17 de novembro de 2016

Seu coração bate muito mais forte com as Novelas da Tarde do SBT!

Confira a Trajetória de Nathalie Lartilleux como produtora da Televisa

NATHALIE LARTILLEUX, conhecida no final dos anos 90 e começo dos anos 2000 por ser a esposa e produtora associada das novelas de Salvador Mejía, trilhou seu próprio caminho a partir de 2004, mas mantendo uma linha bastante similar à do marido. Sua especialidade são as novelas rosas, ranço de Valentin Pimstein, e produziu vários sucessos, sempre com muitas críticas pelo estilo popularesco.


2004 – INOCENTE DE TI: Sua primeira produção foi uma jornada da Televisa para competir com as novelas que a Venevisión produzia em parceria com a Fonovideo, um estúdio em Miami. A ideia era cativar um público americano (composto por latinos de várias partes). E assim surgiu “Inocente de Ti”, remake de “Maria Mercedes”, lançando Camila Sodi, sobrinha da Thalia, como protagonista. Mas a novela não deu certo. A qualidade da produção em Miami era muito inferior à da Televisa, ou seja, não havia sentido nessa coprodução. E se nos Estados Unidos, as novelas de Miami da Televisa não tiveram aderência, no México menos ainda, haja a grande quantidade de atores desconhecidos no elenco. Esse remake estreou primeiro nos EUA, onde teve uma recepção bem fria. E no México, a situação foi ainda pior. A novela só foi apresentar uma melhor performance quando agregou elementos de outras histórias. O melhor da novela foi a atuação de Helena Rojo em papel duplo.


2005 – PEREGRINA: Um aguardado remake de “Kassandra”, de Delia Fiallo, sob a adaptação de Carlos Romero (não muito afeito com adaptações da escritora venezuelana). Dessa vez, a novela foi feita no México, mas a produção parecia de Miami: cenários pobres, caracterizações horríveis, e tiraram o maior charme do original: ter o universo cigano como pano de fundo. Além disso, a péssima escolha dos protagonistas, com o lançamento da fraquíssima Africa Zavalla como heroína, não ajudou em nada na repercussão da novela. Apesar de tudo, na reta final, a novela deu alguma recuperação. Mas obviamente era tarde: a novela foi um fracasso total e significou simplesmente o desperdício de uma das melhores histórias de Delia Fiallo.


2008 – CUIDADO CON EL ÁNGEL: Por fim, um êxito! O remake da história “Una Muchacha Llamada Milagros” era um projeto antigo e que quase saía do papel desde o final dos anos 90. Havia praticamente uma adaptação pronta de Carlos Romero. Como a novela foi parar no horário da tarde, muita coisa foi suavizada: o estupro da protagonista sumiu, houve a inserção de sonhos infantis de uma garotinha, e a novela caiu nas graças do público, boa parte por conta da química entre os protagonistas Maite Perroni e William Levy, que pela primeira vez, protagonizavam uma história. O elenco foi grandioso. A novela só não foi melhor porque houve um esticamento excessivo com uma trama muito distante da inicial que só serviu para desgastar a novela. 


2009 – MAR DE AMOR: O êxito da produção anterior fez a produtora ir parar no horário das 19h, onde produziu outra novela de Delia Fiallo, dessa vez numa tresloucada adaptação de Alberto Gómez. A novela começou promissora, mesmo com vários absurdos. Acontece que o que mais chamou a atenção foram os tumultuados bastidores: a constante indisciplina de Mario Cimarro, o protagonista, que o levou a discutir seriamente com Ninel Conde, e que culminou na demissão do ator nos últimos capítulos. Muita coisa foi feita para remendar esses capítulos finais, comprometendo a qualidade. Dentro da novela, o time de vilões foi o melhor dela (é uma especialidade do adaptador, aliás), que ofuscou o sem graça casal principal, que não tinha química nenhuma.


2011 – RAFAELA: Novamente uma trama de Delia Fiallo, mas com adaptadoras muito ruins. Era uma boa história, que caiu em mãos erradas. Nathalie lançava a venezuelana Scarlet Ortiz no México, mas o resultado passou despercebido. A novela foi um fracasso, e isso que, a princípio, algum capricho na produção chamou a atenção positivamente, com cenários melhores, por exemplo. A escolha do protagonista foi um erro, Jorge Poza funcionava melhor como coadjuvante. A história original foi substituída por outra, com a introdução de um novo interesse romântico para a mocinha, mas já era tarde. Em meio a tantas decisões ruins, ao menos Scarlet Ortiz defendeu bem sua protagonista, mas a sensação é que a novela poderia ter sido muito melhor do que foi.


2013 – CORAZÓN INDOMABLE: A adaptação desse remake de “Marimar” já estava pronta há um bom tempo. Era feita pelo mesmo Carlos Romero da original, e a novela foi novamente um retumbante sucesso. Uma das partes mais curiosas desse remake foi ter usado partes previstas para a “Marimar” original, mas que não foram feitas na época porque a novela foi encerrada abruptamente (toda a fase de Maricruz pobre por exemplo, e sua ida para a capital). Muito bem relacionada, Nathalie contou com um grande elenco. E novamente o clímax foi a humilhação sofrida pela vilã ao retirar papéis da lama. Daniel Arenas se revelou um bom protagonista, e Ana Brenda surpreendeu ao compor uma Marichuy própria, sem imitar Thalía. O sucesso foi tanto que, em várias ocasiões, mesmo exibida às 16h, a novela foi número 1 de audiência e foi seu maior sucesso, sem sombra de dúvidas.


2014 – LA GATA: Reciclando a mais clássica história de heroína pobre que se apaixona por um homem rico, Nathalie reuniu Maite Perroni e Daniel Arenas. A novela foi um sucesso de audiência, mas já não como “Cuidado con el Ángel” e “Corazón Indomable”. Aqui pesou a falta de uma melhor adaptação da história, absolutamente irreal para os dias de hoje. A caracterização pesada da protagonista tornou difícil vender a ideia de que um homem rico fosse se apaixonar por ela verdadeiramente. Não dá pra dizer que a novela tenha ido mal, de jeito nenhum, mas os motivos pelos quais a novela não foi o êxito que prometia são muito evidentes. Mesmo em meio a tanta irrealidade, foi notável o desempenho de Maite Perroni e Manuel Ojeda. Ou ainda a boa vontade de se gravar em um lixão de verdade, o que era um grande constraste com o resto da produção da novela.


2016 – UN CAMINO HACIA EL DESTINO – Esse remake baseado em uma novela da concorrência conseguiu algo notável: enquanto boa parte dos produtores passaram a experimentar novelas com linguagem diferente, tentando fugir dos padrões, essa, que era o extremo “mais do mesmo”, era a única a ter um real sucesso na grade. Não foi uma grande novela, mas apenas ao fato de não trair o formato “telenovela” fez dela uma boa opção para o horário. Além disso, provou que a força do arroz com feijão, se bem executado, não substitui coisas mais sofisticadas posando de vanguardistas. Só pesou um pouco que a produtora gastou a trama original antes do final, restando alguma enrolação final. Destaque para as presenças de Gustavo Rojo e Jorge Aravena, que vinham sendo desperdiçados, e aqui ganharam bons papéis.

quarta-feira, 16 de novembro de 2016

As Novelas da Tarde do SBT são muito + novela!


13h - A Usurpadora
14h15 - Fofocando
15h15 - Casos de Família
16h15 - Mar de Amor
16h45 - Querida Inimiga
17h30 - Lágrimas de Amor
18h30 - A Gata

domingo, 13 de novembro de 2016

"A Usurpadora" pode terminar em janeiro com apenas 55 capítulos; tempo de arte é grande


"A Usurpadora" estreou na segunda (7) com a missão de filtrar o público do "Bom Dia & Cia" para uma melhor migração ao "Fofocando" que andava mal das pernas. Tal ação não surtiu efeito, pelo contrário, fez o programa de fofocas perder 15% de audiência desde que a novela voltou á grade, além de derrubar os índices do horário.

As irmãs gêmeas Paola e Paulina na primeira semana, não passaram dos 4 pontos de média. Se continuar assim, o SBT deve tomar medidas drásticas caso a situação não mude. Se os números subirem e deixarem a trama do jeito que está, ela pode acabar com apenas 55 capítulos em meados de janeiro. 


Acontece que na edição atual, "A Usurpadora" vem sendo exibida num tempo de uma hora e quinze minutos, fazendo com que sejam exibidos dois capítulos por dia. Na sexta (11), por exemplo, a novela que estava em seu capítulo 05 no SBT, já se encontrava no capítulo 10 na edição original da Televisa. Ainda não se sabe se essa edição permanecerá até o fim, pois a emissora costuma variar na duração dos capítulos das novelas.

Apesar da baixa audiência na semana de estreia, isso não se repetiu nas redes sociais, onde "A Usurpadora" se converteu num sucesso de menções, principalmente no Twitter. No dia do primeiro capitulo a tag #AUsurpadora001, ficou entre os assuntos mais comentados por volta das 10h da manhã (horário de Brasília) até à noite, ficando em primeiro lugar durante a exibição da mesma. Nos outros capítulos o mesmo aconteceu.

sábado, 12 de novembro de 2016

Saiba os dias em que Lucero estará nos programas do SBT


Lucero está fazendo um mega sucesso no Brasil. Conhecida desde a década de 80, quando protagonizou a novela mexicana infantil "Chispita", a atriz e cantora ainda protagonizou as novelas "Laços de Amor", "Por Ela... Sou Eva" e mais recentemente "A Dona", quando veio ao país e gravou musicas em português, além de ter participado do "Teleton", "Domingo Legal" e "The Noite", conseguindo assim visibilidade no SBT.


Agora, Lucero irá participar do remake de "Carinha de Anjo", como a mãe de Dulce Maria, protagonista da novela. A novelinha infantil tem estreia prevista para o dia 21 de novembro, ainda sem horário confirmado. E para divulgar a nova novela, Lucero vai participar de diversos programas no SBT, prometendo cantar músicas e contar um pouco mais sobre sua personagem Teresa.


Na próxima quarta-feira, dia 16 de novembro, Lucero participará do "Programa do Ratinho" á partir das 22h30 logo após o "Pra Ganhar é só Rodar". Na mesma semana, sexta-feira (18), a atriz estará no "The Noite" a partir de 0h30. No dia da estreia de "Carinha de Anjo", ela irá participar do "Casos de Família", às 15h15, numa conversa rápida com Christina Rocha, e á noite no "Máquina da Fama" onde irá performar juntamente com Carlos Porto, seu par romântico na novela.

quinta-feira, 10 de novembro de 2016

Confira a 3ª Chamada da Estreia de "Querida Inimiga"


Na próxima quarta (16), estreia no SBT o dramalhão mexicano "Querida Inimiga" nas Novelas da Tarde do SBT. A trama produzida por Lucero Suárez tem estreia marcada para às 16h45, logo após os últimos capítulos de "Mar de Amor", que vai ter seu final exibido na segunda (21).

Na tarde desta quarta (09), a emissora de Silvio Santos exibiu finalmente mais uma chamada, desta vez com a esperada dublagem, além de anunciar o horário. A demora para uma chamada dublada, se deve ao fato da emissora ter mandado a novela para ser traduzida há pouco tempo.

Confira a Chamada:

Com estreia de "Querida Inimiga" e "Carinha de Anjo", SBT contará com 8 novelas


A partir do dia 21 de novembro "Carinha de Anjo" será exibida na faixa de novelas infantis do SBT. A novelinha tem a missão de manter os ótimos índices conquistados desde a época de "Carrossel" em 2012, e mantido em "Chiquititas" e "Cúmplices de um Resgate". O remake tem a estrela mexicana Lucero, famosa por "A Dona" e "Por Ela... Sou Eva".

Já na próxima quarta, dia 16 de novembro, estreia nas Novelas da Tarde do SBT a novela "Querida Inimiga". O dramalhão mexicano tem estreia marcada para às 16h45, dividindo horário com os últimos capítulos de "Mar de Amor" quando terá seu final exibido na segunda (21). O dia inusitado da estreia da nova trama mexicana tem um motivo: o feriado prolongado! Seria arriscado estrear a nova trama numa véspera de feriado, onde o share (número de televisores ligados) costuma ser baixo.


Com a estreia de "Carinha de Anjo" e "Querida Inimiga" o SBT vai contar com 8 novelas. Sendo elas: "A Usurpadora" (13h), "Mar de Amor" (16h15), "Querida Inimiga" (16h45), "Lágrimas de Amor" (17h30), "A Gata" (18h30), "Cumplices de um Resgate" (20h30), "Carinha de Anjo" (21h) e "Chiquititas" (21h45). Sim, serão quase 7 horas de novelas na grade da emissora. Porém, esse número alto de produções fictícias só deve acontecer na segunda (21), quando será exibido o último capítulo de "Mar de Amor". Mas ainda assim terá 7 novelas, até o término de "C1R", que deve dividir horário durante duas semanas com "Carinha de Anjo".

segunda-feira, 7 de novembro de 2016

Confira a trajetória de Salvador Mejía como produtor da Televisa

SALVADOR MEJÍA ALEJANDRE, discípulo fiel de Valentin Pimstein, despontou no começo da carreira como seu provável sucessor. Sua linha popular de novelas era sucesso absoluto, e logo virou um dos mais importantes produtores do gênero. Os excessos e as parcerias erradas o fizeram entrar numa nova etapa, marcada pelo insucesso consecutivo de inúmeras novelas.


1997 – ESMERALDA: A adaptação da trama original de Delia Fiallo bem que gerou críticas por parte da autora original, que criticou escalações, etc. Mas o argumento estava praticamente intacto e foi um grande sucesso no horário das 20h. Um sucesso onde praticamente tudo deu certo, e o tom pimsteiniano era visível (como no figurino eternamente verde da protagonista). Letícia Calderón fez muito sucesso, mas assim como na trama original, quem também chamou atenção foi o par romântico formado por Nora Salinas e Alejandro Ruiz.


1998 – LA USURPADORA: Original de Inés Rodena e adaptada com perfeição por Carlos Romero, a história das gêmeas Paola e Paulina apresentou todos os elementos para se converter num clássico, e maior sucesso absoluto da carreira de Mejía. A escolha da protagonista Gabriela Spanic foi uma aposta ousada do adaptador, que rendeu críticas e elogios da imprensa e do elenco da Televisa, mas não interessa: a novela é um verdadeiro deleite. Recorde de audiência, vendas, etc. Difícil dizer o que mais marcou nessa antológica novela.


1999 – ROSALINDA: Cercada de muita expectativa, essa novela é um caso raro. Sucesso de vendas e com boa aceitação internacional, no México foi tratada o tempo inteiro como um fracasso. Que se esperava um retorno de Thalia em algo diferente, que a novela repetia os clichês... Mas era um remake de uma novela de Delia Fiallo. A novela foi encurtada, viu seu adaptador renunciar a história rumo a reta final, sendo substituído por Liliana Abud. Ficou claro que foi uma novela com bastidores tumultuados, mas não foi nenhum fracasso.


2000 – ABRÁZAME MUY FUERTE: Salvador Mejía fez as pazes com a audiência nesse inesperado sucesso, que começou no horário das 20h, e foi transferida para as 21h diante de seu indiscutível sucesso. Um elenco grandioso e uma requintada produção só não fizeram dessa uma de suas melhores novelas, porque começava aqui uma série de excessos, iniciada com a morte de René Muñoz e a sua substituição por Liliana Abud a frente do texto, que pegou pesado na violência (inclusive com a morte de uma criança) e em sequencias insólitas (como a do exorcismo). Ainda assim, um dos grandes sucessos da década, com destaques para César Évora, Victoria Ruffo, Aracely Arámbula e Fernando Colunga.


2002 – ENTRE EL AMOR Y EL ODIO: A intenção era repetir o êxito da novela anterior, mas o argumento era muito água com açúcar para o horário das 21h. A solução foi incrementar a novela com acontecimentos truculentos: trocas de bebês, muita violência, assassinatos (outra criança morta), doenças escabrosas, mas que sim surtiram efeito. A novela virou um sucesso e fez brilhar o par de vilões vividos por Alberto Estrella e Sabine Moussier. Também destaque para Maria Sorté. 


2003 – MARIANA DE LA NOCHE: Uma novela com uma trajetória similar a anterior. Era o remake de uma novela que não havia sido um sucesso, mas que na adaptação de Liliana Abud, fez as pazes com o sucesso. Foi bem, sem ser um fenômeno. O maior erro foi a escalação de Alejandra Barros para a protagonista, que se viu ofuscada pelos vilões vividos por Angélica Rivera – que ganhava o primeiro crédito, inclusive – e César Évora (que voltava a viver o vilão da história). Com um elenco enxuto e trama bem amarrada, o saldo foi positivo.


2005: LA MADRASTRA – Outro grande sucesso de Mejía. A trama tinha ares de mistério, mas o mote central era a luta de uma mãe para recuperar o amor dos filhos. Um prato cheio para os noveleiros. Apesar da adaptação irregular e uma certa barriga na novela, a novela foi um grande êxito de audiência, sendo uma novela de enorme repercussão o tempo inteiro. Destaque para Victoria Ruffo a frente de um elenco composto praticamente só por astros da televisão. O sucesso foi tanto que a novela foi reprisada dois anos depois, com um final inédito. 


2005: LA ESPOSA VIRGEN – Diante do problema de Carla Estrada estrear a atração seguinte, Mejía emendou uma novela na outra e apresentou um argumento bem velho de radionovela trazendo Adela Noriega no curioso papel de “virgem”. A novela não foi muito bem, apesar da audiência não ter sido um desastre. O maior destaque é que o antagonista da novela, vivido por Sergio Sendel, chamou mais a atenção que o protagonista defendido por Jorge Salinas: Conclusão: casou com a mocinha no final da novela, enquanto o outro morreu.


2006: MUNDO DE FIERAS -Provavelmente o primeiro grande grande e real tombo do produtor. O elenco era multiestelar e a novela prometia muito, mas tinha dois grandes problemas: a sinopse fundia três histórias completamente diferentes em estilo e forma (uma venezuelana, outra mexicana, outra argentina), virando um verdadeiro samba do crioulo doido. Além disso (ou, em parte, por isso), a protagonista era completamente anulada pelo enredo, que valorizava mais as maldades de Edith González como a vilã (de fato, a melhor coisa da novela). 


2008: FUEGO EN LA SANGRE – Poucas novelas viraram um fenômeno de audiência tão imediatamente como essa. Três irmãos que querem se vingar de três irmãs. A história era tão simples e forte, que ficou impossível não fazer sucesso, mesmo com as críticas pelas escalações de atores mais velhos que os intérpretes da novela original. Claro que o sucesso subiu a cabeça, e Mejía levou a novela a mais de 200 capítulos, enchendo a trama de participações especiais e motivos para esticá-la até o cansaço. Eduardo Yánez, Guillermo García Cantu e Diana Bracho brilharam em meio a outro elenco repleto de nomes de peso.


2009: CORAZÓN SALVAJE – Fiasco! Voltou a repetir o mesmo erro de “Mundo de Fieras”, unir duas histórias sem pontos em comum pelo afã de produzir uma nova versão de “Corazón Salvaje”. Talvez por querer dar uma resposta a trilogia de época de Carla Estrada. Começou então um show de horrores: atores errados, em papéis repetidos, visual carnavalesco, gêmeas, mães que tinham a idade dos filhos, e uma adaptação que só começou a se recompor quando escolheu uma das histórias como um norte a seguir. Embora a audiência não tenha sido tão medíocre, acabou talvez como a maior vergonha alheia da carreira do produtor!


2010: TRIUNFO DEL AMOR – A nova versão de “El Privilegio de Amar” já começou dividindo opiniões. Uma das ideias para atrair público foi repetir o par romântico formado por Maite Perroni e William Levy, mesmo que a protagonista se chamasse Maria Desamparada. O elenco reunia grandes nomes, e ao mesmo tempo, um povo colocado lá sem motivo, como o jogador de futebol Cuauthemóc Blanco e a semi-atriz Dorismar em papéis de destaque. Conclusão: o jogador teve sua importância diminuída, e ela, que era fundamental no enredo, foi assassinada. Victoria Ruffo promoveu uma forte campanha para que sua personagem ficasse com um novo personagem vivido por César Evora. Com isso, Osvaldo Rios também perdeu importância na novela. Apesar dos pesares, a novela foi bem fora do México.


2012: QUÉ BONITO AMOR – Salvador Mejía havia vetado um remake de “La Hija del Mariachi” pretendido por Nicandro Díaz, por alegar que a história (que tratava de imigração de um mexicano para a Colômbia) era impossível ser ambientada no México. Mas, para ele, sim foi possível adaptar a história para as 19h! Assim surgia “Que Bonito Amor”, uma espécie de homenagem a música e a cultura mexicana, mas dentro do próprio México! A novela até começou com bons índices, mas acabou não sustentando por muito tempo, vendo sua audiência escapar na segunda metade da trama.


2013: LA TEMPESTAD – A previsão era que Salvador Mejía deixasse “Que Bonito Amor” para lançar “La Tempestad” no horário nobre, mas ele emendou as duas! Havia uma certa expectativa, pois a novela era vendida como um híbrido entre original e remake, de um outro autor, mas no fim, a novela foi novamente um fracasso! O visual errado do protagonista, a escalação da inexperiente Ximena Navarrete como protagonista (ainda por cima, vivendo desnecessariamente duas personagens na novela), e sobretudo, o argumento muito simples da novela prejudicaram seriamente o andamento da novela.


2015: LO IMPERDONABLE – Assim como “Triunfo del Amor”, Salvador Mejía errava novamente ao trazer uma história muito viva precocemente (havia um remake de 2010).  Desta vez, a parceria com Liliana Abud foi desfeita na véspera, provocando uma substituição por Ximena Suárez, que imprimiu um ritmo lento à adaptação, o que prejudicou - e muito - a novela, ainda mais por ser uma história já mais que conhecida! Tudo o que deveria ter sido acelerado, demorou meses para acontecer em prometidas mudanças radicais que, na prática, nunca se concretizaram. 


2016: LAS AMAZONAS – Outro “déja vu”! Dessa vez de “Niña Amada Mía”, mas no horário das 19h! A novela teve uma estética bonita, e queria se apresentar como “série”, sem nada que justificasse isso, a não ser que os capítulos tinham nomes de episódios. A adaptação morna deixou a história presa num eterno conflito do passado, envolvendo Victoria Ruffo, colocada na novela com peso de protagonista, sem que de fato, o fosse. Outra novela cansativa, chata, sem razão de ser feita, ainda que tivesse um bom elenco.

___________________________________

*Começamos hoje no SBTicias está série especial intitulada "Produtores" que conta a história dos produtores de novelas da Televisa. Agradecimento ao grupo "Febre Mexicana" do Facebook pela matéria.

sábado, 5 de novembro de 2016

As Novelas da Tarde do SBT são muito + novela!


A partir desta segunda, tem novidade nas tardes do SBT. Confira a grade:

13h - A Usurpadora, cap. 01
14h15 - Fofocando
15h15 - Casos de Família
16h15 - Mar de Amor, cap. 126
17h - Lágrimas de Amor, cap. 26
18h30 - A Gata, cap. 61

Confira a 4ª Chamada da Sétima Reprise de "A Usurpadora"; Paola Bracho é destacada


Em mais uma chamada da volta de "A Usurpadora", o SBT usou da mesma tática da última em que havia divulgado: usou o locutor em 1ª pessoa questionando o personagem, que desta vez foi Paola Bracho. A novela será exibida pela sétima vez a partir desta segunda, à 1h da tarde, com a missão de entregar os índices em alta para o "Fofocando".

"Senhora Paola, está ciente que há uma pessoa se passando por você? Se a senhora armou isso para poder se divertir, pode ser presa! Confesse seu crime! Quero a verdade!" - narrou o locutor, como se fosse em um tribunal.

Confira:



quinta-feira, 3 de novembro de 2016

Em 3ª Chamada da Volta de "A Usurpadora", SBT usa da criatividade


O SBT soltou mais uma chamada da sétima reprise de "A Usurpadora". O dramalhão mexicano, reestreia nesta segunda, dia 07, à 1h da tarde, sendo mais uma das ideias de Silvio Santos para alavancar a audiência do "Fofocando", que vem oscilando nos índices.

A nova chamada não é um reaproveitamento das que foram exibidas na última reprise, pois até agora o SBT só estava mudando a parte em que anuncia a data da volta da trama, o resto era igual. Na terceira chamada, o locutor narra em 1ª pessoa, fazendo perguntas à Paulina, questionando se ela está se passando por outra mulher. Bem criativa e descontraída, a chamada fez sucesso nas redes sociais.

Confira a Chamada:


quarta-feira, 2 de novembro de 2016

SBT emite comunicado à imprensa sobre reprise de "A Usurpadora"


SBT divulgou nesta quarta-feira (02), um comunicado oficial para a imprensa sobre a volta de ‘’A Usurpadora’’. Apenas 1 ano após o fim de sua última reprise, a novela volta com a missão de subir os índices do início das tardes, que passa por baixa audiência. 

A sétima reprise partiu de Silvio Santos, acreditando que a novela possa frear os números do ‘’Balanço geral’’, da Record, que no horário exibe ‘’Hora da Venenosa’’. Além disso, a missão também é entregar números bons para o ‘’Fofocando’’, melhorando a migração do público infantil herdado do "Bom Dia & Cia".

Confira o Comunicado:

“Um grande sucesso é para sempre, por isso o SBT estreia na próxima segunda-feira, 7 de novembro, às 13h, a novela “A Usurpadora” em São Paulo e em todas as regiões das filiadas da Rede. Quanto ao restante do País, a exibição será opcional para as emissoras afiliadas. O ícone da teledramaturgia produzida no México pela Televisa e eternizado pela atuação de Gabriela Spanic, no papel das gêmeas Paola e Paulina, vai roubar mais uma vez o coração dos telespectadores brasileiros. Além da protagonista Gabriela Spanic, o elenco da trama, exibida em mais de 100 países, conta com nomes como os de Fernando Colunga, Libertad Lamarque, Chantal Andere e Juan Pablo Gamboa.”

terça-feira, 1 de novembro de 2016

Confira a 2ª Chamada da Sétima Reprise de "A Usurpadora"


Como já é de conhecimento de muitos, "A Usurpadora" está de volta pela sétima vez à grade do SBT. Será exibida de segunda a sexta à 1h da tarde, logo após o "Bom Dia & Cia" apenas em horário local, ou seja, para afiliadas próprias do SBT e outras que optarem por exibir o dramalhão mexicano.

Nesta terça-feira, a emissora de Silvio Santos soltou mais uma chamada da trama. Embora ainda contenha com 315 segundos, e a mesma narração da anterior, tem novas imagens.

Confira:


"SBT Notícias" ganha edição aos sábados e domingos; decisão veio de Silvio Santos


O “SBT Notícias”, apresentado por Cassius Zeilmann e João Fernandes, ganhará mais três edições a partir da próxima semana. Devido aos bons índices de audiência, o telejornal passará a ser exibido ao vivo nas madrugadas de sexta, sábado e domingo, das 2h às 6h da manhã. Com isso, o noticiário será exibido de segunda a segunda, somando mais de 30 horas de jornalismo nas madrugadas do SBT.

A decisão partiu do próprio Silvio Santos. Os âncoras foram informados em uma reunião na tarde desta segunda-feira (31/10/2016). O diretor do telejornal, Rafael Bianco, corre contra o tempo para firmar parceria de conteúdo com as afiliadas do SBT. A equipe do noticiário ganhará reforço.

O “SBT Notícias” vem registrando cerca de 2.5 pontos de audiência nas madrugadas da emissora, e chega a vencer os filmes da Rede Globo durante alguns minutos. Cada ponto equivale a 69,4 mil domicílios na Grande São Paulo.

Google Translate

Postagens + Populares